Cidade & Região Notícias

Denúncia: Caos no Município 

A crise na saúde está em estado de calamidade pública e a população chegou ao limite. O diretor do Pronto Socorro Municipal não tem qualificações necessárias exigidas para ocupar o cargo e sequer tem formação acadêmica. Já existem inúmeras denúncias em andamento dentro do Ministério Público, e até o momento, pressupõe não terem feito nada, porque ele continua lá, trabalhando e maltratando a população conforme demonstra diversos depoimentos publicados por nós.

Por sua vez, no setor de educação a situação se agravou de forma assustadora e a sociedade civil se organiza para entrar com pedido de cassação do mandato de Saulo Faleiros Cardoso. Existem três situações distintas acontecendo paralelamente na Educação.

Entenda o caso:

Primeiro ponto: o transporte intermunicipal que leva os estudantes que fazem faculdade em Uberlândia, trata-se de uma promessa de campanha e lei municipal de 2017 que ainda está em vigor e que o atual prefeito tenta derrubar.

Segundo ponto: as creches e escolas municipais estão sem aulas e segundo informações, as aulas só começarão na segunda quinzena de março, após o carnaval.

Terceiro ponto: negou transporte público aos estudantes da area rural alegando que o governador Romeu Zema não fez o repasse, mas já efetuou sim.

Negligência por parte da administração pública que alega falta de dinheiro.

Entretanto, consta no Portal da Transparência gastos de $200mil com arbitragem de jogo de futebol, $596 mil com sistema “Dardani” que está inoperante e fora do ar e ainda um aditivo R$ 96.000,00 feito esse ano, R$590 mil com advogados (além dos 18 advogados já contratados pela prefeitura) e que coincidentemente o defende em suas causas pessoais, R$ 500.000,00, entre tantos outros…

Vale ressaltar que estamos falando de um prefeito condenado há “um ano de prisão” pela justiça por corrupção. Ah, então porque ele não está preso? Porque só vai preso com condenação acima de 08 anos, mas as outras condenações do prefeito estão em trâmite já fase final. Se ele tinha esse impedimento por que conseguiu se candidatar? Porque a justiça local agiu de forma suspeita e concedeu uma liminar que o autorizou assumir o cargo pós-eleições. Liminar esta que já foi cassada pelo Tribunal Superior Eleitoral. E é presumível, que a justiça local age com omissão e não faz absolutamente nada.

Em suma, a situação do atual prefeito Saulo Faleiros Cardoso se mostra extremamente delicada.

Texto Miriam Rezende Gonçalves

Deixe uma resposta