Cidade & Região

Importância do acolhimento e do atendimento humanizado ampliam debates sobre o tratamento do câncer, na 10ª edição do Simpósio de Oncologia do COT

Importância do acolhimento e do atendimento humanizado ampliam debates sobre o tratamento do câncer, na 10ª edição do Simpósio de Oncologia do COT

“Muito mais do que estarmos atentos à tecnologia e aos avanços no tratamento do câncer. É fundamental ir além da parte científica, saber ouvir o paciente e olhar olho no olho”. Com esta frase, a gerente médica do Grupo Oncoclínicas, Dra. Patrícia Tiengo, destacou a importância do acolhimento e do atendimento humanizado para o sucesso do tratamento de pacientes com câncer. O assunto foi um dos destaques da 10ª edição do Simpósio de Oncologia, um evento promovido pelo Centro Oncológico do Triângulo – COT – que reuniu no último sábado (29/09) diversos especialistas da área médica, autoridades no assunto, estudantes e profissionais da saúde em um momento de troca de experiências e novidades. Além de mesas redondas e discussão de casos clínicos, o evento também trouxe abordagens importantes como um painel sobre a importância da espiritualidade, além de uma palestra inspiradora sobre família, amor e criatividade, com o jornalista e autor best-seller, Marcos Piangers, que encerrou o Simpósio.

O evento foi aberto com um painel sobre espiritualidade, que contou com a participação de representantes das religiões católica, espírita, protestante e candomblé. A discussão foi mediada pelo psiquiatra Rodrigo Scalia, que destacou a importância da abordagem sobre o tema. “Isso mostra o comprometimento do COT principalmente com a qualidade do atendimento, pois trabalhar a espiritualidade do paciente é a forma mais efetiva de ele se sentir cuidado e de melhorar a resposta aos tratamentos. Para mim, isso representa o compromisso que o COT possui de trazer uma melhor qualidade de vida e melhor atendimento aos seus pacientes. Quando a gente descobre as várias manifestações de cada religião, a gente consegue de forma muito mais empática se colocar no lugar do outro e realmente atende-lo muito melhor”, destacou o psiquiatra.

O Simpósio também contou com a presença do Dr. Sergio Simon, presidente eleito da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), e uma das maiores autoridades do país no que diz respeito ao tratamento do câncer. Para o presidente, eventos como o Simpósio de Oncologia, promovido pelo COT, são de extrema importância para ampliar a discussão sobre o tratamento do paciente oncológico. “Este é um evento importante por que chama a atenção para os tratamentos disponíveis aqui na cidade. São serviços de excelente nível, em termos de tratamento, e dispõem de recursos muito atualizados para o paciente com câncer. Além disso, destaco o fato de ser um encontro multidisciplinar, pois hoje quem trata o paciente com câncer não é somente um oncologista, mas toda uma equipe. O paciente com câncer precisa de um apoio muito global, não apenas médico, mas também psicológico, familiar e espiritual para conseguir passar pela crise da doença. Também acho importante que a comunidade médica esteja se interessando por essa abordagem multidisciplinar que inclui inclusive a parte espiritual do paciente. O nível das palestras foi excelente com uma plateia bastante interessada”, afirmou o Dr. Sergio Simon.

A humanização do atendimento e a preocupação de ir além da parte científica foi um ponto destacado pela gerente médica do Grupo Oncoclínicas, Dra. Patrícia Tiengo, que também marcou presença o evento. “Vencer o câncer é a principal missão do Grupo Oncoclínicas, por isso acredito que eventos como este promovido pelo COT, que tem como foco a oncologia, são uma oportunidade para disseminar o conhecimento e padronizar a discussão sobre o tema. Dentro desse aspecto, acredito na importância de ampliar a discussão para o fator humano, no sentido de entender o que cada paciente está pensando, assim como as pessoas que estão no entorno deles. Será que estamos tendo tempo de ouvi-los, de saber quais as dificuldades da família e qual a espiritualidade de cada uma delas? Por isso, temos que destacar cada vez mais essa humanização. Muito mais do que estarmos atentos à tecnologia e aos avanços no tratamento do câncer. É fundamental ir além da parte científica, saber ouvir o paciente e olhar olho no olho”, destacou a Dra Patrícia Tiengo.

Para a diretora do COT, Dra. Valéria Ribeiro, o evento mais uma vez foi um sucesso e trouxe reflexões que vem ao encontro do objetivo do COT, que é promover o acolhimento dos pacientes e oferecer um atendimento cada vez mais humanizado. “No ano que em que celebramos 20 anos do COT, esta edição do Simpósio com certeza marca um momento especial, seja pelo nível de discussões com profissionais de renome e autoridades no assunto, assim como por essa abordagem de grande importância que é a questão da espiritualidade, o acolhimento e o atendimento humanizado, que disseminamos como nossa premissa e nossa missão. Além disso, tivemos no encerramento um momento inspirador com o jornalista Marcos Piangers, que muito nos engradeceu com suas reflexões sobre amor, família e criatividade”, completou a diretora do COT.

Marcos Piangers encerrou o evento com reflexão sobre amor e família

Uma reflexão sobre amor, família e criatividade marcou o encerramento do Simpósio, que recebeu o jornalista e autor best-seller, Marcos Piangers. Para o jornalista, eventos como esse incentivam a humanização e a evolução do conhecimento. “A gente vive em uma época em que se questiona o conhecimento, a ciência e o progresso. Por isso, acho que um evento como este abraça o progresso, pois é um momento em que você ouve profissionais e especialistas e tem a chance de conversar nos bastidores. Essa é a grande vantagem dos eventos presenciais, pois o humano também tem essa característica do toque e do olho no olho. A gente não fala na frente da tela coisas que a gente falaria na frente da pessoa, de fato. Por isso, eventos como esse cultivam a evolução da ciência e do conhecimento de uma forma mais humana”, destacou o palestrante.

O jornalista também compartilhou com o público uma experiência de um caso de tumor na família e contou como isso o ajudou a ter uma nova visão a respeito da doença. “No ano passado tivemos um caso de câncer na família, quando a minha irmã descobriu um tumor no seio. E o câncer traz para a família uma série de novos olhares. Hoje ela está curada, mas uma frase que ela me disse me marcou muito. Ela disse: ‘tudo que o câncer me trouxe de ruim vai embora, mas tudo que ele trouxe de bom vai ficar’. E por incrível que pareça veio tanta coisa boa, que isso me marcou e me deixou muito inspirado, pois os desafios de saúde podem apresentar também caminhos positivos, que vão te ajudar a transformar a sua vida em uma vida mais equilibrada, mais próxima da família e dos amigos”, finalizou o jornalista.

Deixe uma resposta