Gente & Comportamento

Entrevista exclusiva com Padre Márcio de Romaria

Entrevista exclusiva com Márcio Ruback, 50 anos, natural de Palma, Minas Gerais. Popularmente conhecido como Padre Márcio, o sacerdote tem atraído milhares de fiéis para o Santuário de Nossa Senhora da Abadia, em Romaria, capital da Fé do Cerrado Mineiro.
1- Quantos anos de sacerdócio? E onde exerceu seu ministério?
Me ordenei padre em Uberaba no dia 10 de dezembro de 1993. Exerci meu ministério durante três anos em Frutal, na paróquia Nossa Senhora Aparecida. Em 1997 fui transferido para a cidade de Prata e lá permaneci durante 6 anos. Em dezembro de 2002, retornei para Frutal para igreja matriz, Nossa Senhora do Carmo, onde fiquei durante dez anos. Em janeiro de 2013, fui designado para Romaria como reitor deste Santuário. Completo em dezembro, 24 anos de padre.
2- O senhor está apenas há 4 anos à frente na administração do santuário, nesse período tem se mostrado um grande empreendedor, tanto na administração como na evangelização. Fale sobre o assunto.
Me coloco sempre a serviço da igreja e de suas necessidades. Quando fui nomeado reitor do Santuário, meu bispo Dom Paulo, pediu-me que meu trabalho fosse voltado para reavivar ainda mais a devoção a Nossa Senhora da Abadia, buscando acolher com amor de pai, todos os seus devotos. E também na medida dom possível, criar estruturas físicas com o mesmo objetivo.
3- Percebemos com muita clareza o crescimento de fiéis que vem ao santuário, isso devido às missas que pelo senhor têm sido celebradas, que na opinião do povo são diferenciadas. Você concorda?
Tudo o que se faz por amor o resultado é positivo. Amo demasiadamente o que faço. Ser padre é a minha vocação e busco responder sempre aquilo que é próprio de um sacerdote. Levar alegria nos corações dos fiéis de ter Jesus como seu Senhor. Ser um pastor como nos pede o papa Francisco, com cheiro de ovelhas, isto é, acolher, amar e agir sempre em qualquer circunstância com misericórdia com todos sem distinção.
4- O que se tem propagado muito é a missa que o senhor celebra no terceiro domingo do mês, chamada missa da misericórdia. O que o senhor tem a dizer sobre isso?
Citando novamente o Papa Francisco que diz que o nome de Deus é misericórdia, esta missa tem atraído mais pessoas, por ser conduzida de forma bastante espontânea com cantos e orações. Voltadas mais para a realidade do nosso povo, visto que o santuário é sempre um local onde os peregrinos e romeiros vem em busca de graças e milagres pela intercessão de Nossa Senhora da Abadia. São diversas bênçãos e graças alcançadas aqui. Estas realidades são testemunhadas por muitos fiéis devotos e isso faz com que as pessoas se aproximem mais de Deus.

5- Conte-nos como aconteceu a graça que um pai testemunhou durante a missa sobre o filho que havia se acidentado e segundo os laudos médicos ficaria tetraplégico.
Deus sempre exalta os humildes. Esse pai suplicou a Deus por intercessão da Mãe Abadia, que seu filho tivesse a graça, pelo menos de movimentar as mãos, para se alimentar, estudar, entreter nas redes sociais, etc. Mas como nosso Deus é o Deus da abundância, do amor e da partilha e a Mãe jamais concede uma graça pela metade, diante da fé desse pai, o filho em pouco tempo voltou a se movimentar e milagrosamente está não só movimentando as mãos, mas sim andando, como todos puderam presenciar durante a última missa aqui celebrada.
6- O senhor se sente responsável por ajudar a conseguir esta graça?
De forma alguma. Foi a fé dos pais. Fui apenas instrumento nas mãos de Deus orando e intercedendo por ele, como faço sempre quando me pedem orações. Foto: Arquivo pessoal.

Deixe um comentário