Colunistas

Ser diferente não é normal

Sobre inclusão e diversidade Boaventura de Souza dizia que : “Temos o direito de ser iguais quando a nossa diferença nos inferioriza; e temos o direito de ser diferentes quando a nossa igualdade nos descaracteriza.

Daí a necessidade de uma igualdade que reconheça as diferenças e de uma diferença que não produza, alimente ou reproduza as desigualdades.

Muito se ouve por aí, que ser diferente é normal.

Que a pessoa com deficiência não deve carregar na bagagem rótulos, cliclês, e outras coisas…. tal como, por exemplo: “você foi escolhido por Deus” ou ” É anjo na Terra”.

Como tuda na vida é uma questão de perspectiva, que tal enerxergar um pouco por outro ângulo…

Porque, se  tem uma coisa que não consigo ver com normalidade é meu filho.

Pois tudo que é simples e fácil para a maioria das pessoas para ele não é normal.

Logo que ele acorda, ele se  esforça para virar para o outro lado sozinho.

As vezes ele consegue , outras não.

A vontade, a força quase sobre humana do seu coraçãozinho cheio de amor pela vida, não é normal.

Ele quase o perde o fôlego tentando falar mamãe…de uma maneira forte, e isso não é nomal.

Não é normal quando ele tenta me abraçar com seus bracinhos que chega a tremer.

Não é nomal ver  sua tristeza no olhar quando vê alguém estacionando na vaga especial de estacionamento.

Não é normal esperar meses para fazer um tratamento dentário na rede pública.

Não é normal, vê-lo ansioso querendo ir para escola de van escolar, e não existir van adaptada escolar na sua cidade…

Não é normal entrar num local e ser reparado e ver isso com normalidade.

Um simples, banho, a falta de rampa, uma via de acesso,tudo isso são desafios que não são normais.

Não é normal chegar na escola do seu filho a sala de aula toda parar para gritar o nome dele, que todos ansiosos esperam sua chegada.

Em qual lugar ele vai se sentar.

Este carinho, afeto, respeito não é normal.

É lindo, é mágico, é especial, é diferente.

Conviver num mundo onde a sociedade a todo instante te desafia a mostrar suas potencialidades, viver de forma normal, é ímpossível.

Ser diferente é ser especial. E não tem como continuar a vida, olhar a vida e viver a vida com normalidade quando se tem um filho que não tem expectativa de vida.

Não é normal saber que o amanhã é incerto, e o que você tem é somente este segundo.

Não é normal ver uma alegria , um riso solto, de simplesmente viver.

A diferença que uma  síndrome rara nos trouxe para uma vida normal, passa tudo para uma significância enorme.

E ainda bem que não somos normais.

Podemos enxergar tudo como busca, como o novo, como milagre.

E isso não é normal.

O amor é coisa mais fina do mundo!

 

Deixe uma resposta