Colunistas

Reflexões por Quincas Veloso

Glícia casou-se nova e aos vinte anos já era mãe de uma linda garota que recebeu os nome de Angelina.
Glícia, mãe vaidosa só permitiu que sua filhinha tomasse o leite materno por apenas trinta dias.
Não, dizia ela, se eu der de mamar mais tempo eu vou ficar com os seios caidos e isso eu não quero e a sua vaidade falava alto. Angelina foi criada com esses leite de supermercados.
Angelina cresceu muito raquitica, mas portadora de uma beleza angelical.
Sua mãe por vezes ficava com a consciência pesada ao vê-la magérrima e volta e meia tendo problemas respiratórios. Mas se punha de frente ao espelho e mirava-se  e esquecia o seu lapsio de remorso e se encantava com o próprio corpo. Um dia quando ela se maquiava, a palpou os seios notou um nódulo. Insitiu no toque e aquilo não estava certo, era algo anormal. Foi ao médico e o resultado o pior possível. Ela estava com cancer nas mamas.
Tratamentos médicos próprios ao caso. Seus seios foram operados e nenhuma melhora. Seus loiros cabelos cairam todos. Angelina a cuidava com o maior carinho possível.
Glícia percebeu que estava prestes a entregar o seu amado corpo à terra.
Orou com fervor como nunca havia rezado.
Arrependeu-se e abraçou a sua delicada filhinha.
Pediu-lhe perdão e disse-lhe: Filha eu estou partindo e gostaria de reparar o meu erro, mas é tarde.
Agora eu aprendi Angelina que a verdadeira beleza é a da alma.
Tu, minha filha ensinou-me muitas coisas por intermédio da tua calma, de tua simplicidade, a tua meneira de tratar as pessoas. Alimente-se bem e não esqueças que mesmo sendo a responsável por tuas carências físicas, eu amo-te muito, muito mesmo. Olhou para aquela garotinha de oito anos, mas que parecia ter o triplo da sua idade por sua maneira de conduzir a vida e de ser altamente responsável.
Glícia mirou aquela menina tão frágil fisicamente e tão forte espiriualmente. Beijou o seu rosto, recostou-se e fechou os olhos para nunca mais abri-los. Angelina abraçou aquele corpo inerte e entre lágrimas falou docemente: vai em paz minha querida mãe e tenha a certeza de que mesmo si eu alimenta-se o leite materno eu seria exatamente assim como sou, este é o meu carma. A vaidade é um cancer que nos impede de ser prestimosos e humildes
Uma boa semana com paz e alegria.
IMG_5607
O colunista Quincas Veloso é carmelitano, advogado, pensador, e coordenador do Centro espirita Allan Kardeck.

Deixe uma resposta