Entretenimento

Museu da TAM encerra atividades

Crise e falta de interesse das autoridades comprometem futuro do acervo

IMG_5404
O Museu da TAM encerrou suas atividades no último dia 29. Inaugurado em 2010, o museu contava com um acervo de 90 aeronaves, além da reserva técnica, assim como diversos itens que retratam a história da aviação no Brasil e no mundo.

Furto do sonho dos irmãos Rolim e João Amaro, o museu surgiu com a proposta de manter um importante acervo em plenas condições de voo. Entre as aeronaves expostas estão os icônicos Supermarine Spitfire, Vought F4U Corsair, Republic P-47 Thunderbolt, Messerschmitt Bf 109, MiG -21, Dassault Mirage III, Lockheed Constellation e Fokker 100.

Com a escalada da crise econômica e política no Brasil, a Latam, principal mantenedora do museu, passou a registrar uma série de prejuízos e redução no número de passageiros transportados. Com custos mensais na ordem de R$ 300.000, o museu se tornou oneroso diante dos desafios impostos pelo país.

Além disso, a Latam vinha estudando utilizar o espaço dedicado ao museu como extensão das oficinais de manutenção. O sitio aeroportuário de São Carlos abriga o principal centro de manutenção do grupo, podendo no futuro receber oficinas dedicadas aos novos Airbus A350 XWB e Boeing 787 Dreamliner.

Nos últimos meses o co-fundador João Amaro e curadoria do museu, ao lado de importantes membros da sociedade aeronáutica vem discutindo a transferência das instalações para o Campo de Marte, em São Paulo.

O projeto conta com a simpatia do Comando da Aeronáutica, que estuda ceder parte da área que possui para a construção do edifício, que poderá abrigar todo o atual acervo e eventuais novas aeronaves incorporadas. Porém, a prefeitura de São Paulo se mostra relutante ao projeto. Um dos motivos é a disputa pela propriedade do terreno onde se encontra o aeroporto do Campos de Marte.

Por ora, o museu não tem data para retomar suas atividades.

Texto Alexandre Galante

FONTE: aeromagazine.uol.com.br

Deixe uma resposta